Área técnica da Anatel avalia novas
faixas de espectro para o 5G

05/11/2018

O gerente de Espectro, Órbita e Radiodifusão da Anatel, Agostinho Linhares, disse à Newsletter da Telebrasil que o Brasil não vai trabalhar na faixa de 28 GHz, como os Estados Unidos. Os esforços do País ficarão na faixa de 26 GHz, que deverá ser liberada – se houver quatro operadoras interessadas em pelo menos 400 MHz para cada uma delas.

Linhares afirmou ainda que a agência reguladora está atenta à aplicação do espectro de 1,5 GHz como faixa suplementar para downlink, mas que isso ainda está em discussão. A Anatel, explicou, está seguindo uma recomendação da Citel para aplicação de link suplementar (como portadora agregada a outras faixas), mas a UIT discute também uma utilização completa com modulações TDD e FDD. A ideia da agência brasileira é liberar pelo menos 90 MHz nessa faixa.

O especialista também comentou que a área técnica estuda as faixas de 2,3 GHz e 2,4 GHz e que o Conselho Diretor da Anatel avalia o uso da faixa de 3,5 GHz para o 5G. Nos dias 28 a 30 de novembro, acontece no Rio de Janeiro a 6ª edição do Global 5G Event. Realizado pelo 5G Brasil em parceria com instituições congêneres da China, Coreia do Sul, Estados Unidos, Japão e União Europeia, o evento será palco de discussão sobre os últimos avanços em pesquisa e desenvolvimento sobre tecnologias 5G. Mais informações sobre o evento e a programação estão disponíveis no site http://6thglobal5geventbrazil.org.br/

Assistam à entrevista com o gerente de Espectro, Órbita e Radiodifusão da Anatel, Agostinho Linhares, sobre os estudos relativos ao 5G.

Citel - Comissão Interamericana de Telecomunicações
UIT - União Internacional de Telecomunicações

Acompanhe as notícias do setor na AGÊNCIA TELEBRASIL

Painel Telebrasil 2019


A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais

Com taxação excessiva, Brasil corre sério risco de perder o bonde da economia digital


O principal analista da consultoria Ovum na América Latina, Ari Lopes, adverte que o desenvolvimento da indústria 4.0 – dentro de um contexto de uma infraestrutura com modelos de negócios que não se sustentam – será muito aquém do desejado e haverá implicações sérias para o futuro do País. Leia mais

GSMA: tudo será radicalmente diferente com o 5G


Ao mudar a vida dos consumidores, a tecnologia exige toda a transformação do ecossistema de telecomunicações, avalia o gerente de Estratégia da GSMA na América Latina, Fabio Moraes. Leia mais


Copyright © 2017-2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital