Formar gente é decisivo para o Brasil ambicionar um lugar na economia do futuro

08/10/2018

A economia digital exige um novo cardápio de capacitações profissionais, nas escolas e nas empresas. E o Brasil não tem como se dar ao luxo de importar essa nova mão de obra. O País precisa investir em formação, mesmo sabendo-se que isso leva tempo. Como não há área do conhecimento à prova de futuro, o fundamental é formar pessoas que saibam aprender.

“No futuro haverá tanta mudança tecnológica que a gente nem sabe o que virá pela frente. Então a gente tem de formar pessoas com capacidade de aprender, de se transformar e de transformar suas organizações”, sustenta, em entrevista à Newsletter da Telebrasil, o reitor do ITA, Anderson Correia.

“Não é encontrar a mão de obra. Temos que criar a mão de obra necessária. Veja que a Embraer foi criada em 1969, mas o ITA foi criado em 1950. Foram 20 anos para formar mão de obra e então criar a Embraer. Quando se mexe com tecnologia de ponta, não se consegue importar todos os funcionários porque seria um custo elevadíssimo. Tem de formar esse grupo e trabalhar junto com ele, fazendo projetos conjuntos até chegar à realização”, defende o reitor.

O ITA está atualizando professores em novos campos como Big Data, inteligência artificial e análise de dados e acaba de firmar um convênio para repassar esse conhecimento a servidores da Anatel até 2022. A chave, acredita Correia, é identificar pessoas capazes e com vontade de aprender. Assistam à entrevista com o reitor do ITA.

Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações
ITA - Instituto Tecnológico da Aeronáutica

Veja mais matérias da Newsletter da Telebrasil

A hora é de preparar profissionais em quantidade e qualidade

Apenas com Internet das Coisas e 5G, estima-se que o Brasil vai precisar de até 200 mil novos profissionais qualificados, observa o secretário-geral da Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação, Cesar Rômulo. Leia mais

Procuram-se interessados em atuar na transformação digital


Há vagas disponíveis nas empresas, mas faltam profissionais qualificados para ocupá-las, apontam estudos da Michael Page e da Fundação Getúlio Vargas. As oportunidades de trabalho vão muito além daquelas para especialistas em TICs e se expandem para finanças, educação, saúde, agricultura e governo, entre outras. Leia mais


Copyright © 2017-2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital