Legislação precisa migrar
do passado para o futuro

30/07/2018

O modelo de telecomunicações implantado há 20 anos foi exitoso, trouxe um avanço forte, introduziu a competição, mas do ponto de vista regulatório ficou velho e preso ao passado. “Temos de renovar porque antes o olhar era para a telefonia fixa. Agora é o momento da banda larga”, afirmou o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude.

Em entrevista à Newsletter da Telebrasil, Tude lembrou que, há 20 anos, havia fila para conseguir um telefone. “Hoje as ofertas estão no mercado. Houve condições para o desenvolvimento das telecomunicações", sublinhou.

Pensar o futuro, destacou ainda o presidente da consultoria especializada em telecomunicações, significa pensar em liberar espectro para estimular novos serviços e não como fonte de arrecadação. Outro ponto relevante é resolver de vez a questão da autorização para instalar infraestrutura.

“Estamos caminhando para as small cells, que são instaladas em uma hora, e as autorizações para a sua colocação podem levar até um ano”, advertiu. Assistam à entrevista com o presidente do Teleco, Eduardo Tude.

Veja mais matérias da Newsletter da Telebrasil

Privatização colocou o Brasil na vanguarda das telecomunicações


Para o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, duas décadas depois, o País caminha lado a lado das nações mais avançadas na oferta das modernas tecnologias. Leia mais

Anatel: números expressam o sucesso do modelo


O presidente da agência reguladora, Juarez Quadros, destaca o salto de qualidade com o fim do monopólio estatal. “As empresas investem cerca de R$ 30 bilhões anualmente, enquanto o Sistema Telebrás não conseguia fazer investimentos maiores que R$ 1 bilhão ao ano.” Leia mais


Copyright © 2017-2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital