Com mais infraestrutura, PMEs aumentam o consumo de internet no Brasil

03/07/2018

Cada vez mais as microempresas usam a internet no Brasil. Dados divulgados pela Pesquisa TIC Empresas 2017, lançada em junho pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), mostram que o patamar de uso da internet por microempresas com 1 a 9 pessoas ocupadas atingiu o patamar de 88%.

De 2007 até hoje, houve um crescimento de 19 pontos percentuais; por sua vez, a proporção de microempresas com computador avançou em dez anos para 89%, representando um aumento de 10 pontos percentuais. O estudo aponta ainda a evolução do modelo de conexão à internet. O cabo e a fibra óptica ganham cada vez mais presença – o cabo com 51% das conexões e a fibra com 49%. As conexões DSL, via linha telefônica, ainda respondem por 63%, mas, em 2015, ficavam com 70% das conexões internet.

A pesquisa também revela que, em 2017, 29% das microempresas possuíam website e 65% estavam presentes nas redes sociais. “A significativa presença na internet, por meio das redes sociais em relação a websites próprios, provavelmente se dá em função do acesso facilitado e menor custo de manutenção, se comparadas as duas formas de presença on-line das microempresas brasileiras”, explica Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

Entre as pequenas, médias e grandes empresas (10 pessoas ocupadas ou mais), a pesquisa TIC Empresas 2017 mostra que 55% afirmaram possuir um website, proporção que era de 57% em 2015, o que representa um cenário de estabilidade. No caso das médias empresas, a presença na web por meio de websites é de 78% e das grandes empresas é de 89%.

O levantamento sinaliza ainda que a proporção de empresas que possuem perfil nas redes sociais chega a 70%. Das que estão presentes nesse tipo de plataforma on-line, 60% contam com uma área ou pessoa responsável pelo monitoramento das redes sociais e 29% terceirizam esse serviço.

No uso de novas tecnologias, o estudo apura que 27% usam a computação em nuvem para serviços de e-mail e 25% usam armazenamento de arquivos ou banco de dados. De acordo com a TIC Empresas 2017, o pagamento de impostos e taxas (72%) é a principal transação realizada por meio da internet entre empresas e governo.

Para elaborar a TIC Empresas 2017, foram entrevistadas 7.062 empresas de pequeno, médio e grande porte. Para acessar a pesquisa TIC Empresas 2017 na íntegra, incluindo tabelas completas de proporções, totais e respectivas margens de erro, bem como rever a série histórica, visite http://cetic.br/pesquisa/empresas/indicadores.

Veja mais matérias da Newsletter da Telebrasil

BNDES financia ecossistema de IoT

Objetivo do banco de fomento é estimular uso de casos em cidades inteligentes, áreas rurais e saúde. Cronograma prevê indicar as selecionadas no final de outubro. Primeira chamada pública tem R$ 20 milhões em financiamentos não reembolsáveis. Leia mais

Parecer reduz a zero tributos incidentes sobre Internet das Coisas


Projeto de lei na CCTCI da Câmara conta com o apoio do relator, deputado Eduardo Cury (PSDB/SP), e também dispensa licença prévia para equipamentos de comunicação máquina a máquina. Leia mais

Cobrança de taxas inviabiliza Internet das Coisas


Co-autor do PL 7.656/17, que zera impostos para IoT, o deputado Odorico Monteiro (PSB-CE) lembra que os dispositivos estarão disseminados e gerando milhares de transações. Leia mais


Copyright © 2017-2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital