5G: uma tecnologia para revolucionar a sociedade

07/05/2018

Pela primeira vez, o Painel Telebrasil, que acontece de 22 a 24 de maio, em Brasília, será palco do IEEE 5G Brazil Summit, um fórum que incentiva líderes da indústria, inovadores e pesquisadores da indústria móvel a colaborar e a trocar ideias sobre a próxima geração da tecnologia móvel. Durante um dia, o IEEE 5G Brazil Summit vai mostrar que o 5G é um dos motores da revolução digital e possibilitará uma sociedade em que pessoas e máquinas estejam conectadas de forma permanente.

Em entrevista à Newsletter da Telebrasil, o coordenador do IEEE 5G Brazil Summit, professor Flávio de Oliveira Silva, da Faculdade de Computação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), sublinhou que a proposta do 5G não é apenas aumentar a capacidade de vazão do transporte de dados, como aconteceu com as gerações anteriores – 3G e 4G. Segundo ele, o 5G tem uma meta mais abrangente.

“Além de oferecer uma banda larga móvel ampliada (enhanced Mobile Broadband - eMMB), o 5G pretende oferecer suporte a comunicações ultra confiáveis e de baixa latência (Ultra-Reliable and Low-Latency Communications - URLLC) e comunicações massivas entre máquinas (massive Machine-Type Communications - mMTC). Isso permitirá a utilização das redes móveis em diferentes verticais de mercado, como automóveis, energia, alimentos e agricultura, gestão de cidades e governo, saúde, manufatura, transportes públicos e muitas outras", afirmou.

Segundo o coordenador do IEEE 5G Brazil Summit, o 5G vai sofrer alterações profundas tanto no acesso (Radio Access Network – RAN) quanto em sua arquitetura (Service and System Aspects – SA) e será uma rede cada vez mais baseada em software, programável e flexível. "Essa nova rede permitirá que as prestadoras de serviço móvel possam ir além da comunicação pessoal. Elas vão atuar também como provedoras de serviços e de soluções nesses diferentes mercados. A próxima geração das redes móveis permitirá a criação de uma nova geração de aplicações e serviços, que vão mudar a nossa sociedade", reforçou.

Para Flavio de Oliveira Silva, no Brasil, do ponto de vista da infraestrutura nacional de telecomunicações, há várias frentes para avançar, entre elas, a disponibilidade de espectro, a infraestrutura de rede ótica para implementação de fronthaul/backhaul e a capilaridade dos datacenters.

Ele destacou que a faixa candidata a suportar o serviço no País é a 3.500 MHz, que possui uma largura de banda de 200 MHz (3.400 a 3.600 MHz). Mas há também a opção do uso das faixas hoje alocadas para os serviços 2G e 3G. “Isso significa que as faixas de 700, 850, 1.800, 2.100 e 2.500 MHz poderão, naturalmente, evoluir para o 5G, principalmente quando se considerar a agregação das mesmas", completou.

O IEEE 5G Brazil Summit é promovido pelo Institute of Electrical and Electronic Engineers (IEEE), organização que colabora no incremento da prosperidade mundial, promovendo a engenharia de criação, desenvolvimento, integração, compartilhamento e o conhecimento aplicado no que se refere à ciência e tecnologias da eletricidade e da informação, em benefício da humanidade e da profissão.

O evento será realizado no dia 22 de maio dentro das Sessões Temáticas do Painel Telebrasil 2018. Veja a programação do IEEE 5G Brazil Summit (http://paineltelebrasil.org.br/programacao-st/) e saiba como se inscrever (http://paineltelebrasil.org.br/inscricoes-2/)

Veja mais matérias da Newsletter da Telebrasil

O futuro digital exige um novo marco regulatório


Os últimos 20 anos foram muito prósperos para as telecomunicações, e os próximos 20 anos exigem uma evolução das regras atuais para se obter maior eficiência dos investimentos das prestadoras, segundo o presidente da Telebrasil, Luiz Alexandre Garcia. Leia mais

Está nas mãos do Senado Federal garantir mais investimentos em telecomunicações


A aprovação do PLC 79/16 é essencial, uma vez que a legislação está obsoleta e precisa ser atualizada para atender ao desejo do usuário brasileiro de ter acesso à internet em qualquer lugar do País. Leia mais


Copyright © 2017-2018 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital