Brasil teve aumento de 451% na adoção de velocidade de 15 Mbps

03/08/2017

Elaborado trimestralmente pela Akamai, o ranking global de velocidade de conexões à Internet atesta a boa performance do Brasil na banda larga. De acordo com o levantamento, o País teve média de 6,8 Mbps no primeiro trimestre de 2017. Isso significa uma subida de oito posições no ranking – 79º lugar e 16 acima do 95º lugar que ocupava em 2015.

O estudo mostra ainda que cresceu a proporção de acessos com mais de 4 Mbps, agora uma maioria de 63% de todas as conexões – eram 52% em dezembro do ano passado –, enquanto aquelas superiores a 10 Mbps chegaram a 18% (10% em dezembro) e as com mais de 15 Mbps, a 5,8% (2,9% em dezembro).

Vistos comparativamente com o primeiro trimestre de 2016, os avanços foram significativos: eram 44% das conexões acima de 4 Mbps; 3,8% das mais de 10 Mbps e 1,1% das mais de 15 Mbps, como destacado pelo relatório. “Na perspectiva anual, todos os países analisados viram aumentos nas taxas acima de 10 Mbps. Panamá e Brasil lideraram, com saltos de 270% e 381%, respectivamente.” O Brasil também é citado com “o maior aumento anual na adoção de taxas de 15 Mbps, com ganho de 451%.”

Os números da Anatel relativos à banda larga fixa de maio corroboram o incremento do serviço no País. A banda larga fixa brasileira apresentou o quinto resultado positivo. No total, eram 27,469 milhões de acessos no mês, um avanço de 0,60%. No comparativo anual, o crescimento é de 5,49%. O destaque foi o crescimento da fibra, um avanço de 8,03% (166,6 mil adições líquidas) no mês e de 55,08% no ano. No total, a tecnologia conta com 2,240 milhões de acessos. O HFC cresceu 5,95% (total de 42,8 mil acessos) e o cabo, 0,08% (total de 8,653 milhões de conexões).

Com o incremento da fibra óptica, houve também aumento da velocidade de conexão. Entre 12 Mbps e 34 Mbps, de acordo com os números da agência reguladora, o crescimento foi de 2,06% (ou 145,6 mil adições líquidas), com um total de 7,228 milhões de acessos. No recorte acima de 34 Mbps, o aumento foi de 3,09% (98,2 mil adições), total de 3,227 milhões de acessos. Comparada a maio do ano passado, essa banda larga mais veloz cresceu 94,25%.

A faixa de 2 Mbps a 12 Mbps também mostrou crescimento (0,57%), totalizando 9,605 milhões, a maior base no Brasil (34,97% do mercado). Já as velocidades mais baixas continuaram a apresentar redução. A de até 512 Kbps caiu 4,50% (total de 883,3 mil); e a de 512 Kbps até 2 Mbps foi reduzida em 1,42% (total de 6,473 milhões de acessos).

No ranking mundial da Akamai, o topo não teve alteração. A Coreia do Sul mantém a liderança com 28,6 Mbps, seguida pela Noruega (23,5 Mbps), Suécia (22,5), Hong Kong (21,9), Suíça (21,7), Finlândia (20,5 Mbps), Cingapura (20,3), Japão (20,2), Dinamarca (20,1) e Estados Unidos (18,7). Na Internet móvel, a média brasileira no primeiro trimestre de 2017 ficou em 5,2 Mbps – eram 4 Mbps no fim de 2016 e 3,4 Mbps há um ano. O estudo completo pode ser acessado aqui.

Veja mais matérias da Newsletter Telebrasil



Telecomunicações são cruciais para construir o futuro do Brasil

Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, prega a união entre Governo e prestadoras de serviços de telecomunicações para o fomento da banda larga. Leia mais

Harmonização do espectro é vital para a banda larga móvel

Executiva da GSMA diz que o Brasil precisa se alinhar às discussões globais para se beneficiar das novas tecnologias. Leia mais

Brasil supera os 200 milhões de acessos móveis à Internet

O 4G teve um crescimento de 103% em 12 meses. O 3G está presente em 5030 municípios. A banda larga fixa cresceu 5% em 12 meses, alcançando 27,5 milhões. Leia mais


Copyright © 2017 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital