Internet das Coisas lidera entrega de propostas
para a Chamada
Brasil-União Europeia

05/05/2017

A 4ª Chamada Coordenada Brasil – União Europeia, destinada à pesquisa em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC), recebeu 50 propostas, o que representa um aumento de 28% em relação ao edital anterior. Do total, 33 projetos são em Internet das Coisas, 13 em computação em nuvem e quatro em redes 5G.

O número superou as expectativas, afirma o coordenador de projetos do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para Informação e Comunicação da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Wanderson Paim. "Geralmente, os consórcios são compostos por uma média de cinco instituições brasileiras e outras cinco europeias, que devem se coordenar para escrever uma proposta com cerca de cem páginas, incluindo um breve resumo dos pesquisadores proponentes. Os desafios começam desde a formação do consórcio, que depende dos interesses, escolha dos temas e foco das propostas, até a escrita e formatação adequadas. É um trabalho conjunto que exige grande esforço dos coordenadores", explicou.

Segundo ele, os resultados devem ser divulgados até julho, e a execução dos projetos deve começar em janeiro de 2018. Na 4ª Chamada Coordenada, Brasil e União Europeia vão investir 16 milhões de euros em seis projetos com duração de três anos. O objetivo é incentivar o avanço tecnológico e a inovação, além da qualificação de recursos humanos. As chamadas coordenadas começaram em 2010. Entre os projetos apoiados estão biossensores para detecção de doenças tropicais, uma plataforma para compartilhamento de dados de biodiversidade e sensores usados na indústria automobilística.

Telebrasil integra a força-tarefa nacional para o desenvolvimento

Durante o Mobile World Congress, realizado em Barcelona, na Espanha, o Brasil assinou dois Memorandos de Entendimento com a Europa relacionados à tecnologia da informação e comunicação (TIC): o primeiro voltado ao desenvolvimento da quinta geração de serviços móveis (5G) e o segundo para internet das coisas (IoT, na sigla em inglês). O objetivo foi o de estabelecer cooperação bilateral sobre os temas.

O Memorando de 5G foi estabelecido entre o Projeto 5G Brasil e a 5G Infrastructure Association, e tem entre seus objetivos a troca de informações e programas de trabalho em áreas de interesse mútuo sobre sistemas e redes de telecomunicações em 5G, cooperação entre indústrias e organismos europeus e brasileiros, participação em fóruns de discussão para padronização do 5G, desenvolvimento de protótipos e elaboração de futuras normas globais sobre o tema. Em solo nacional, o Projeto 5G Brasil conta com os seguintes participantes: Abinee, Anatel, Cetuc, ClearTech, CPqD, Ericsson, Fitec, Huawei, Inatel, Informa, MCTIC, NEC, Nokia, Oi, Qualcomm, Sindisat, SindiTelebrasil, Telebrasil, Telefônica, TIM e Trópico.

Já o Memorando de Entendimento em Internet das Coisas foi assinado entre a Câmara de IoT do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) do Brasil, a Associação Brasileira de Internet das Coisas (Abinc) e a Aliança para a Inovação da Internet das Coisas (AIOTI), associação independente da indústria ligada à União Europeia que reconhece o valor da IoT para endereçar desafios mundiais e atua no desenvolvimento da indústria. Entre as ações a serem implementadas neste último estão cooperação na normalização global para IoT, promoção conjunta de convergência e interoperabilidade em IoT e alinhamento de estratégias para capacitar as pessoas por meio de confiança, segurança e privacidade em IoT.

Veja mais matérias da Newsletter Telebrasil

A cada hora, usuários de telecom pagam R$ 7 milhões em tributos no País

O tributo com maior impacto nas contas de telecomunicações é o ICMS, recolhido pelos governos estaduais. No ano passado, foram arrecadados R$ 34 bilhões em ICMS, o equivalente a 8,4% do total desse imposto.

Leia mais
Big data: uma oportunidade de novos negócios

Estimativa para o mercado de análise de dados é a geração de uma receita de R$ 2,5 bilhões no Brasil em 2017, em função da adesão das corporações à transformação digital. Leia mais

Terceirização traz segurança jurídica para a cadeia produtiva de telecomunicações

Setor emprega 500 mil pessoas e gera milhares de empregos indiretos. Para a Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), a terceirização aumenta a competitividade global da empresa brasileira e estimula o ritmo de inovações. Leia mais


Copyright © 2017 Telebrasil - Associação Brasileira de Telecomunicações ... Todos os direitos reservados

Produção e edição:Editora Convergência Digital